Crônicas de Dallier

Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil

Pensava em ser um Lawrence Olivier, ou um Orson Welles, e me tornei um seguidor de Van Gogh. Já escrevi fotonovelas, fiz teatro infantil e adulto. Aos 39 anos comecei a pintar... E asssim venho me expressando sem fronteiras, descobrindo que sou um artista.

24.8.07

Depois dos 75, o que vou fazer ?


Não esperava chegar a essa idade , mais cheguei e ainda acho que tenho muito que fazer.Só que estou de mãos atadas e a cabeça rodando sem saber ao certo o que fazer. Estou esperando há quase três anos por uma exposição que seria para mim um grande passo na minha carreira e que me daria certeza de ter alcançado o meu objetivo e que financeiramente me deixaria tranquilo. Nada aconteceu até agora , nada em relação a essa exposição que deveria (ou deverá ?) ser realizada em São Paulo onde há 27 anos passado fiz minha primeira exposição individual. Nesses quase três anos de espera algumas coisas aconteceram: Desenvolvi mais o meu trabalho , participei de quatro exposições no Rio de Janeiro , fui convidado para ir para a Inglaterra, o que não aceitei por diversos motivos , entre eles o medo de me aventurar já nessa idade a um lugar desconhecido , sem um amigo por perto e principalmente pela espera que essa exposição de São Paulo saísse e eu não estivesse por perto. Enfim, além das quatros exposições participei de um curta metragem como ator " Chateau Sauternes " e um pequeno documentário por alunos da Puc que participou da prova de jornalismo . Outras coisas devem ter acontecido que eu não me lembro no momento em que escrevo essa pequena crônica. A cada dia que chega me sinto um equilibrista na corda bamba buscando me segurar até que a tão comentada exposição paulista venha acontecer e aí então eu possa respirar profundamente e poder enxergar uma luz maior no fim do túnel. Enquanto isso vou buscando outros sonhos nas minhas noites mal dormidas onde os pesadelos são mais presentes para ver se chego lá.